humor

Sucesso nas redes, marchinha brinca com Operação Lava Jato

8 dez 15
Perfil

Raquel Valli informa no Correio Popular:

 

‘Aproveitar o momento’, esse foi o mote para o advogado campineiro Thiago Vasconcellos de Souza para criar “A Marchinha do Japonês da Federal”. A música que viralizou no Youtube com mais de 80 mil visualizações, foi compartilhada milhares de vezes nas redes sociais, chegando a tocar na Globo News, programa de rádio do Ricardo Boechat e ainda compartilhada por Sérgio Mallandro, na página oficial do humorista.

 

 

A música fala sobre o agente Newton Ishii, chefe do Núcleo de Operações da PF em Curitiba, que foi citado pelo senador Delcídio Amaral (PT-MS), em áudios, como sendo o ‘japonês bonzinho’. Ishii é quem sempre aparece na mídia ao lado de “peixes graúdos” da Operação Lava Jato (como o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu; o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto; o empresário Marcelo Odebrecht; e o pecuarista José Carlos Bumlai).

 

A marchinha foi composta para o 11° concurso da Fundição Progresso, do Rio de Janeiro, para o Carnaval 2016, cujo vencedor sai em 6 de fevereiro. “Não tinha como prever o sucesso. Fizemos como uma brincadeira e não para virar uma bandeira. A última coisa quero é ser rotulado de algo. Apenas aproveitei o cenário de bagunça em Brasília e trazer à tona algo engraçado”, afirmou Souza.

“Esperamos que essa música siga até o Carnaval de 2016. Resolvi me antecipar porque achei que haveria muitas marchinhas com esse tema”, disse.

 

Entretanto, com o tamanho do sucesso inesperado que a música causou, o compositor nem a inscreveu. “Devido à repercussão, quem sabe não aparece uma gravadora interessada?”, cogita.

 

A gravação demo, postada no Youtube, conta com vozes e violão. Mas a ideia agora é “dar uma garibada” nela, colocando percussão e coro, explicou o autor. A gravação será feita no estúdio de Rogério Vila Nova, em Barão Geraldo, em parceria com o grupo de samba campineiro Casa Caiada, disse o vocalista do grupo, Silo Sotil.

 

A letra de “A Marchinha do Japonês da Federal” foi musicada pelos campineiros Dani Battistoni, Rogério Vila Nova, o ‘Jabolinha’, e o paulistano Robson Rubens, conhecido com ‘Tigrão’. “Recebemos um feedback positivo de Ishii, que entendeu que a música não trata desse ou daquele preso, apenas de uma pessoa comum que se surpreendeu ao ser abordado por ele”, disse Jabolinha. Battistoni alerta que a brincadeira não deve parar. “Temos outras ideias, não podemos parar com o humor. Vamos mirar na Lava Jato.”

 

Por que o japonês?

 

Para o Souza, o tema “é óbvio” porque “o japonês é uma figura emblemática, que inspira a indignação das pessoas”, disse, referindo-se a tudo o que tem vindo à tona com a Lava Jato. Além disso, “o japonês é a pessoa que associamos às prisões, porque ele sempre está nelas”.

 

Ishii ingressou na corporação em 1976. Em 2003, chegou a ser preso pela própria PF durante a Operação Sucuri, suspeito de integrar uma quadrilha que realizava contrabando na fronteira do Brasil com o Paraguai. Acusado de corrupção, Ishii chegou a ser expulso da PF e responde a processos criminal e civil. Ele foi reintegrado à corporação, que afirmou que ele é “um excelente profissional que goza da confiança” da PF.

 

Compositor

 

Souza, especificamente, começou a letrar em 2007, quando morava em São Paulo, na Vila Madalena. No bairro, frequentou o Grêmio Recreativo Social Cultural Escola de Samba Pérola Negra.

Depois disso, foi padrinho do Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Império de Casa Verde e compôs para o Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira em um concurso de samba de terreiro.

 

Já em 2015, compôs o samba do Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Dragões da Real, que pertence ao grupo especial de São Paulo, e da Sociedade Carnavalesca Morro da Casa Verde, do grupo de acesso paulista.

 

 

Letra

“Aí meu Deus, me dei mal
Bateu à minha porta
O Japonês da Federal!”

Dormia o sono dos justos
Raiava o dia, eram quase seis
Escutei um barulhão
Avistei o camburão
Abri a porta e o Japonês, então, falou:
– Vem pra cá!
Você ganhou uma viagem ao Paraná!

“Aí meu Deus, me dei mal
Bateu à minha porta
O Japonês da Federal!”

Com o coração na mão
Eu respondi: o senhor está errado!
Sou Trabalhador…
Não sou lobista, senador ou deputado!

 

 

FOTO: Gisele Pimenta / FramePhoto

 

 

Jornalistas, publicitários e especialistas em comunicação política trazem informação e análise para o debate público da atividade.

Publicações relacionadas

Rindo da cara de Donald Trump

PSuB: o partido certo para o momento certo

Fala, Excelência!

últimas publicações
notícias Posto Ipiranga barra propaganda de João Dória na justiça

Mônica Bérgamo informa:   O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) aceitou pedido...

exterior Estátuas de Trump nu divertem os EUA

Estátuas que satirizam o candidato republicano à presidência, Donald Trump, foram espalhadas em cinco...

opinião Campanhas para governar, não apenas para ganhar

Donald Trump e Hillary Clinton, em debate na eleição presidencial norte-americana, colocam o dedo...

técnica O voto de garrafa

Aprendi a expressão “voto duro” na Bolívia, quando atuei como consultor na campanha de...

pesquisas Penúria nas pesquisas, vôo cego nas campanhas

A eleição municipal já começou e o mercado de pesquisas eleitorais também está em...

regulação Lei Falcão 2.0 no horário eleitoral: restrições e benefício

Em 1º de julho de 1976 foi promulgada a Lei nº 6.339, batizada em...

financiamento Campanha barata ou injusta?

Michael Freitas Mohallem* comenta:   A última mudança nas regras eleitorais, em 2015, teve...

depoimentos Os Prisioneiros da Caixa 2

Ao final de seu depoimento ao juiz Sergio Moro, dentro do acordo de delação...

história Conselhos eleitorais com 2.000 anos de validade

Políticos disputam eleições há milhares de anos. E, antes mesmo de Jesus Cristo nascer,...