exterior

“Panteras Negras” de Beyoncé no Super Bowl geram protestos

11 fev 16
Perfil
Performance de Beyoncé no Super Bowl revolta e gera protestos

Leonardo Torres informa no portal Popline:

 

Beyoncé está causando com “Formation”. Depois de sacudir a elite racista norte-americana com o clipe da música, a cantora deu ainda mais o que falar com a performance no Super Bowl.

 

Para muitos, foi só um show de dança! Mas os americanos entenderam o recado, e há gente revoltada. Policiais e políticos conservadores do Partido Republicano estão fazendo críticas públicas à popstar e já há um movimento preparando um protesto “anti-Beyoncé” para a próxima terça (16/2), em um evento da NFL – a liga de futebol americano que promove o Super Bowl anualmente.

 

O motivo da revolta foi Beyoncé ter feito referência ao movimento Black Panther Party na performance. O “Partido dos Panteras Negras” foi criado nos Estados Unidos em 1966 como resposta ao racismo norte-americano. O partido patrulhava os guetos negros em Oakland, na Califórnia, para proteger os cidadãos da violência da polícia.

 

Na apresentação do Super Bowl, Beyoncé botou suas dançarinas vestidas como se vestia o grupo histórico. A cantora decidiu trazer o tabu à tona em 2016, mediante os assassinatos de jovens negros inocentes por policiais brancos inocentados, o que gerou um novo movimento, o Black Lives Matter.

 

Mais de 111 milhões de pessoas assistiram à Beyoncé tratar do assunto no Super Bowl, o que dividiu opiniões. O ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani (Rudy) considerou a atitude “revoltante”.

 

“O que deveríamos fazer pela comunidade de afro-americanos, e todas as comunidades, é dar respeito aos policiais, e nos concentrarmos no fato de que quando alguém faz algo errado, okay, trabalharemos nisso. Mas a maioria dos policiais arriscam suas vidas para nos manter seguros”, declarou.

 

Um político canadense também disse que, com o claro apoio aos Panteras Negras, Beyoncé “não pode ser bem-vinda no país” e que seu show no Canadá no dia 25 de maio deveria ser cancelado.

 

No protesto da semana que vem, os manifestantes querem bloquear o prédio da NFL para demonstrar sua ofensa com o fato da Beyoncé ter “incitado as brigas raciais”.

 

“Você concorda que a performance foi um tapa na cara da aplicação da lei? Concorda que Panteras Negras foram/são um grupo de ódio que não deveria ser glorificado? Junte-se a nós. Vamos dizer à NFL que não queremos discurso de ódio e racismo no Super Bowl nunca mais!”, diz a convocatória.

 

Veja a performance da cantora e seu grupo no Super Bowl:

 

 

 

E assista ao clipe original, cheio de referências à história do racismo americano:

 

 

 

Foto: Popline

 

 

Jornalistas, publicitários e especialistas em comunicação política trazem informação e análise para o debate público da atividade.

Publicações relacionadas

Adele proíbe suas músicas na campanha de Trump

O funk de protesto de Mc Garden

O Funk de Páscoa de Michelle Obama, contra obesidade infantil

últimas publicações
notícias Posto Ipiranga barra propaganda de João Dória na justiça

Mônica Bérgamo informa:   O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) aceitou pedido...

exterior Estátuas de Trump nu divertem os EUA

Estátuas que satirizam o candidato republicano à presidência, Donald Trump, foram espalhadas em cinco...

opinião Campanhas para governar, não apenas para ganhar

Donald Trump e Hillary Clinton, em debate na eleição presidencial norte-americana, colocam o dedo...

técnica O voto de garrafa

Aprendi a expressão “voto duro” na Bolívia, quando atuei como consultor na campanha de...

pesquisas Penúria nas pesquisas, vôo cego nas campanhas

A eleição municipal já começou e o mercado de pesquisas eleitorais também está em...

regulação Lei Falcão 2.0 no horário eleitoral: restrições e benefício

Em 1º de julho de 1976 foi promulgada a Lei nº 6.339, batizada em...

financiamento Campanha barata ou injusta?

Michael Freitas Mohallem* comenta:   A última mudança nas regras eleitorais, em 2015, teve...

depoimentos Os Prisioneiros da Caixa 2

Ao final de seu depoimento ao juiz Sergio Moro, dentro do acordo de delação...

história Conselhos eleitorais com 2.000 anos de validade

Políticos disputam eleições há milhares de anos. E, antes mesmo de Jesus Cristo nascer,...