exterior

Podemos alcança 20% dos votos e Rajoy perde maioria nas eleições da Espanha

21 dez 15
Perfil

Informa o portal Opera Mundi:

 

O PP (Partido Popular), do primeiro-ministro, Mariano Rajoy, venceu as eleições gerais deste domingo (20/12) na Espanha. Contudo, não obteve a maioria parlamentar para formar governo no país.

 

Com mais de 96% das urnas apuradas, o partido governista conquistou 28,71% dos votos e 122 assentos no Congresso — longe das 176 vagas necessárias para conseguir maioria absoluta.

 

Em segundo lugar, está o PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol), com 22,08% e 91 cadeiras. A terceira força parlamentar está nas mãos da novata coalizão de esquerda Podemos, que conquistou 20,61% dos votos e 69 assentos.

 

Além de Podemos, outra sigla recente na história política espanhola é o partido liberal Ciudadanos, que se consolidou no quarto lugar, com 13,88% dos votos e 40 cadeiras.

 

As duas legendas foram criadas recentemente como reação à crise financeira que o país passou nos últimos anos, bem como o desgaste político com denúncias de corrupção dentro do governo.

 

De acordo com El Pais, a coligação Unidade Popular-Izquierda Unida obteve menos de 4% dos votos e apenas dois deputados, tendo dificuldades para formar um grupo parlamentário próprio, dado que as regras do Congresso exigem um mínimo de cinco parlamentares.

 

Os colégios eleitorais abriram as portas às 9h (horário local, 6h em Brasília) e fecharam às 20h (17h) . Ao longo do dia, 36,5 milhões de pessoas foram convocadas para escolher todos os 350 deputados do Congresso e 208 senadores. Segundo dados do governo, cerca de 58,4% da população apta a votar compareceram às urnas.

 

Essas eleições são consideradas as mais acirradas desde 1982 e marca o fim do bipartidarismo entre PP e e o PSOE, característica presente nos últimos pleitos do país.

 

Embora não haja uma agenda definida para a formação do próximo governo, os próximos dias devem ser marcados por uma série de negociações para a composição de gabinete, incluindo reuniões com o rei Felipe VI.

 

A expectativa é que o PP vá tentar se aproximar do Ciudadanos, cuja linha política de direita é mais semelhante ao seu projeto de governo.

 

Conforme as normas do país, o próximo primeiro-ministro deverá ser aprovado e designado pelo monarca.

 

Oficialmente, o novo Parlamento da Espanha deve iniciar seus trabalhos no dia 13 de janeiro, aproximadamente 20 dias após o resultado do pleito.

 

Caso português

 

O resultado espanhol lembra o pleito que ocorreu em Portugal há dois meses. No caso luso, a coalizão de centro-direita Portugal à Frente (PàF), liderada pelo então primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, vencera as eleições legislativas no início de outubro.

 

Apesar de conquistar 37% dos votos, a aliança não obteve a maioria absoluta dos assentos da Assembleia da República, de Portugal com 107 das 230 cadeiras.

 

Então, o PS (Partido Socialista), de centro-esquerda que ficou em segundo lugar no pleito,  articulou uma aliança com partidos de esquerda.

 

Junto ao PCP (Partido Comunista Português), ao BE (Bloco de Esquerda) e ao PEV (Partido Ecologista “Os Verdes”), o grupo liderado pelos socialistas somou 122 cadeiras no Parlamento e derrubou o governo de Passos Coelho no dia 10 de novembro.

 

FOTO: Reuters

Jornalistas, publicitários e especialistas em comunicação política trazem informação e análise para o debate público da atividade.
últimas publicações
notícias Posto Ipiranga barra propaganda de João Dória na justiça

Mônica Bérgamo informa:   O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) aceitou pedido...

exterior Estátuas de Trump nu divertem os EUA

Estátuas que satirizam o candidato republicano à presidência, Donald Trump, foram espalhadas em cinco...

opinião Campanhas para governar, não apenas para ganhar

Donald Trump e Hillary Clinton, em debate na eleição presidencial norte-americana, colocam o dedo...

técnica O voto de garrafa

Aprendi a expressão “voto duro” na Bolívia, quando atuei como consultor na campanha de...

pesquisas Penúria nas pesquisas, vôo cego nas campanhas

A eleição municipal já começou e o mercado de pesquisas eleitorais também está em...

regulação Lei Falcão 2.0 no horário eleitoral: restrições e benefício

Em 1º de julho de 1976 foi promulgada a Lei nº 6.339, batizada em...

financiamento Campanha barata ou injusta?

Michael Freitas Mohallem* comenta:   A última mudança nas regras eleitorais, em 2015, teve...

depoimentos Os Prisioneiros da Caixa 2

Ao final de seu depoimento ao juiz Sergio Moro, dentro do acordo de delação...

história Conselhos eleitorais com 2.000 anos de validade

Políticos disputam eleições há milhares de anos. E, antes mesmo de Jesus Cristo nascer,...