história

Lições da História: o Manifesto pelo Presidencialismo, em 1962

22 ago 15
Perfil

Tom Eiseinlohr recorda no Facebook:

 

Com a renúncia de Jânio Quadros, em 1961, as Forças Armadas vetaram a posse do vice-presidente João Goulart, sob o argumento de que ele iria instaurar o comunismo no País. Para superar o impasse, foi feito um acordo com os militares, de que Jango exerceria o mandato presidencial sob regime parlamentarista.

 

O novo sistema, porém, tirou-lhe os meios para aprovar suas propostas políticas. Mesmo assim, Jango elaborou um plano de governo baseado em três pontos fundamentais: o desenvolvimento econômico, o combate à inflação e a diminuição do déficit público. As dificuldades levantadas acabaram forçando a antecipação do plebiscito que decidiria qual regime seria adotado no país.

 

Nesse quadro, Jango reúne-se com governadores aliados em sua casa de São Borja-RS, em 1962, e lança manifesto conclamando a sociedade a votar pelo presidencialismo (foto). Em janeiro de 1963, sob forte campanha publicitária, a população brasileira apoiou então o retorno do sistema presidencialista, o que acabou dando maiores poderes ao presidente.

 

Jango passou a defender a realização das chamadas Reformas de Base, que poderiam promover a distribuição de renda, mas quebravam os interesses dos grandes proprietários, do grande empresariado e das classes médias. As Forças Armadas, com o apoio das elites e da logística norte-americana, começaram a arquitetar o golpe, encorajando os conservadores a realizarem atos de protesto público, como a “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”.

 

A foto foi feita no ato de lançamento do manifesto, em São Borja. Estão sentados com Jango, da esquerda para a direita, os governadores do PTB: Roberto Silveira (RJ), Parsival Barroso (CE), Leonel Brizola (RS) e, encoberto pelo locutor,  Mauro Borges (GO). Eu, que estou com o microfone na mão, cobria o fato como repórter político da Rádio Gaúcha, de Porto Alegre.

 

 

Foto: Arquivo Pessoal

 

 

Jornalistas, publicitários e especialistas em comunicação política trazem informação e análise para o debate público da atividade.

Publicações relacionadas

Parlamentarismo de Ocasião

Brasil teve o maior partido nazista fora da Alemanha

No palanque do Brigadeiro

últimas publicações
notícias Posto Ipiranga barra propaganda de João Dória na justiça

Mônica Bérgamo informa:   O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) aceitou pedido...

exterior Estátuas de Trump nu divertem os EUA

Estátuas que satirizam o candidato republicano à presidência, Donald Trump, foram espalhadas em cinco...

opinião Campanhas para governar, não apenas para ganhar

Donald Trump e Hillary Clinton, em debate na eleição presidencial norte-americana, colocam o dedo...

técnica O voto de garrafa

Aprendi a expressão “voto duro” na Bolívia, quando atuei como consultor na campanha de...

pesquisas Penúria nas pesquisas, vôo cego nas campanhas

A eleição municipal já começou e o mercado de pesquisas eleitorais também está em...

regulação Lei Falcão 2.0 no horário eleitoral: restrições e benefício

Em 1º de julho de 1976 foi promulgada a Lei nº 6.339, batizada em...

financiamento Campanha barata ou injusta?

Michael Freitas Mohallem* comenta:   A última mudança nas regras eleitorais, em 2015, teve...

depoimentos Os Prisioneiros da Caixa 2

Ao final de seu depoimento ao juiz Sergio Moro, dentro do acordo de delação...

história Conselhos eleitorais com 2.000 anos de validade

Políticos disputam eleições há milhares de anos. E, antes mesmo de Jesus Cristo nascer,...