depoimentos

Os Prisioneiros da Caixa 2

27 jul 16
Perfil

Ao final de seu depoimento ao juiz Sergio Moro, dentro do acordo de delação premiada fechado com a justiça federal, o marqueteiro João Santana fez uma confissão pungente. Falou da vida profissional e pessoal destruída, que se agrava com o encarceramento simultâneo da mulher e sócia Monica Moura.

 

Mas, para além do desabafo pessoal, ele expôs a realidade do financiamento subterrâneo das campanhas eleitorais, lamentando o comprometimento do mercado de comunicação política com as irregularidades, quase uma condição para operar nele.

 

O trecho foi transcrito pelo jornalista Breno Altman em seu perfil no Facebook, de onde Marqueteiros o compartilha.

 

 

“Nos últimos meses, eu vi destruídos um trabalho e uma imagem pessoal, que construí, com muito esforço, ao longo de mais de 20 anos. Eu entendo porque isso aconteceu.

 

“Primeiro porque escolhi uma profissão fascinante, mas cheia de riscos e incompreensões. Segundo porque me transformei em um profissional de destaque nacional e internacional. Terceiro porque meu trabalho esteve ligado, nos últimos anos, a um grupo político que está hoje sob severo questionamento.

 

“O que eu não entendo e não me conformo é com o fato de eu e minha mulher estarmos sendo acusados, injustamente, de corrupção, formação de organização criminosa e de lavagem de dinheiro. De estarmos sendo tratados como criminosos perigosos. E de estarmos servindo, involuntariamente, aos interesses dos que sempre tentaram ligar o marketing político a atividades obscuras e antiéticas.

 

“O marketing eleitoral não cria corrupção, não corrompe e não cobra propina. Não somos a causa de práticas eleitorais irregulares.

 

“Elas são consequência de um sistema eleitoral adulterado e distorcido em sua origem. Isto é assim aqui e na maioria esmagadora dos países. E atinge todos os partidos, sem exceção.

 

“Com generosidade, e com conhecimento de causa, eu digo que 98% das campanhas no Brasil utilizam caixa 2. Que isso envolve das pequenas às grandes campanhas. Que centenas de milhares de pessoas – quase certo que milhões – de todas as classes sociais e de dezenas de profissões são remuneradas com dinheiro de caixa 2. Mais que isso: o caixa 2 é um dos principais – senão o principal – centros de gravidade da política brasileira.

 

“Se todos que já foram remunerados com caixa 2 no Brasil fossem tratados com o mesmo rigor que eu, era para estar aqui, atrás de mim, uma fila de pessoas que chegaria a Brasília. Uma muralha humana capaz de concorrer com a muralha da China. Capaz de ser fotografada por qualquer satélite que orbita em torno da terra.

 

“Mas estaria eu aqui a defender o caixa 2? Jamais!

 

“Erramos e estamos dispostos a pagar pelo nosso erro. Mas não somos corruptos nem lavadores de dinheiro.

 

“Pelo que já foi apurado, há fortes indícios de que os crimes da Lava-Jato não estão circunscritos ao caixa 2 eleitoral. Mas no nosso caso nada foi apurado – e nunca será – que não esteja circunscrito ao caixa 2.

 

“Mas estamos presos, tivemos nossa reputação arruinada, nossos bens bloqueados, nosso patrimônio líquido sequestrado, nossas empresas, no Brasil e no exterior, ameaçadas de fechar. Tudo, sem que ninguém até hoje duvide, que aquilo que conseguimos na vida é fruto exclusivo do nosso trabalho.

 

“Somos os únicos presos, neste país, por caixa 2.

 

“Não queremos ser símbolos. Nem bodes expiatórios. Não quero clemência, nem piedade. Não espero perdão. Espero apenas proporcionalidade.

 

“Espero que Vossa Excia. possa resolver esta grave distorção, e possa dar-nos, a mim e à minha mulher, a exata medida da nossa responsabilidade. É isto – apenas isto – que esperamos da justiça.”

 

 

OUÇA A ÍNTEGRA DO DEPOIMENTO DE JOÃO SANTANA AO JUIZ SÉRGIO MORO

 

Declaração final começa a 20:45 da parte 2

 

 

 

 

 

Para o depoimento da mulher de Santana, Monica Moura:

https://www.youtube.com/watch?v=pbb6Ce2x9Z4

https://www.youtube.com/watch?v=SRECdah6-bg

 

 

Áudio: Núcleo Multimídia Estadão / You Tube

Foto: gazetaonline

 

 

Jornalistas, publicitários e especialistas em comunicação política trazem informação e análise para o debate público da atividade.

Publicações relacionadas

O Ministro do Teleprompter

Fernando Meirelles pede perdão por comparar João Santana a Goebbels

PF diz que não há irregularidades em campanhas do PT feitas por Santana

últimas publicações
notícias Posto Ipiranga barra propaganda de João Dória na justiça

Mônica Bérgamo informa:   O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) aceitou pedido...

exterior Estátuas de Trump nu divertem os EUA

Estátuas que satirizam o candidato republicano à presidência, Donald Trump, foram espalhadas em cinco...

opinião Campanhas para governar, não apenas para ganhar

Donald Trump e Hillary Clinton, em debate na eleição presidencial norte-americana, colocam o dedo...

técnica O voto de garrafa

Aprendi a expressão “voto duro” na Bolívia, quando atuei como consultor na campanha de...

pesquisas Penúria nas pesquisas, vôo cego nas campanhas

A eleição municipal já começou e o mercado de pesquisas eleitorais também está em...

regulação Lei Falcão 2.0 no horário eleitoral: restrições e benefício

Em 1º de julho de 1976 foi promulgada a Lei nº 6.339, batizada em...

financiamento Campanha barata ou injusta?

Michael Freitas Mohallem* comenta:   A última mudança nas regras eleitorais, em 2015, teve...

depoimentos Os Prisioneiros da Caixa 2

Ao final de seu depoimento ao juiz Sergio Moro, dentro do acordo de delação...

história Conselhos eleitorais com 2.000 anos de validade

Políticos disputam eleições há milhares de anos. E, antes mesmo de Jesus Cristo nascer,...